Blogroll

28 de nov de 2008

Closer - Perto Demais

É um desafil pessoal interpretar filmes que te desafiam. De vez em quando nos deparamos com um exemplo dessas obras que por mais que tentamos fica difícil entender certos pontos, momentos incompreensíveis esse que noutro dia talvez entenderemos. Quando Kubrick nos apresentou 2001 – Uma Odisséia no Espaço ele deixou uma porção de interrogações. A intenção é pessoal. Cabe a cada um interpretar.

Nesse quesito que Closer – Perto Demais sempre me deixa uma sensação de vazio, uma verdadeiro avalanche que tem leitura diferente do que é o amor. Uma pessoa precisa realmente de anos para deixar de amar alguém? Ou é preciso somente um ato, um momento para tudo vir à tona? Se isso acontece no sentimento do ódio, um único deslize, mas com conseqüências drásticas pode apagar todos os momentos felizes já vividos e transformá-los em apenas rancor? Alice (Natalie Portman - simplesmente perfeita) diz em certo momento que veio para Inglaterra por terminar com o antigo namorado. "Não te amo mais, adeus.", conta ela para Dan. A personagem de Portman é a mais profunda, todos os outros giram ao seu redor. É uma ovelha desgarrada sentimental.

Mike Nichols brinca com os sentimentos humanos sem piedade. Fica até difícil saber como pessoas podem trair os amados. Quando Anna aceita a proposta de transar com Larry, para que ele assine o documento do divórcio, ficamos com mais perguntas na mente. Ela aceitara por que no fundo ainda sentia algo por Larry? Ou estaria apenas fazendo um ato de amor? Para que então pudesse ficar ao lado de Daniel.

O filme não mente. Mostra a vida como ela é. Não há hipocrisia. E volto a bater na tecla da mentira. Os personagens mentem e muito. Não é qualquer um que entende ou gosta desse filme. É preciso que haja uma sensibilidade nos olhos de quem ver. Closer é um filme profundo, agudo, traiçoeiro. Mexe com a racionalidade humana. É preciso anos de estudo para chegarmos ao conceito da compreensão da mente das pessoas. Da mesma forma acontece com a política. Desde cedo nossos ouvidos acostumam-se a ouvir o que geralmente nossos pais sempre falam quando um político qualquer aparece na tevê ou mesmo na sua frente: “Todo político é igual: ladrão!”

Em Closer todos os personagens são traídos e todos traem. Daí, um dos personagens chora, agarra-se, desabava, tudo exatamente como já fizemos, fazemos ou certamente faremos. “Um quebra-mentes” que mexe com passado, presente e quando menos esperamos até com o futuro. O longa só tem fidelidade à verdade na vida real e à mentira dos personagens. Quando somos apresentados a ele, logo de cara “The Blower’s Daughter”, de Damien Rice toca os corações com sua sutileza e para fechar a fita a música novamente é tocada. Uma demonstração da importância da trilha sonora. Closer – Perto Demais é um filme controverso, enigmático e verdadeiro. Não recomendável para um casal de namorados assistirem juntos.

Closer: Perto Demais
(Closer, EUA, 2004, 104 min. Dir.: Mike Nichols)

“Assista Antes De Morrer” é uma série de colunas mensal. Trata-se de filmes que merecem não só uma crítica, mas sim uma análise profunda do que ele é realmente. A cotação não é necessária.

7 comentários:

  1. Não penso neste filme como uma leitura diferente do "que é o amor", e sim como uma obra sobre a fácil manipulação de nossos sentimentos, como temos vários sentimentos conflitantes dentro de nós mesmos.

    Bom final de semana!

    ResponderExcluir
  2. Kamila, eu até concordo com seu ponto de vista. No filme os personagem se apegam e desapegam aos outros de uma maneira muito fácil. Bom final de semana!

    ResponderExcluir
  3. Assista ´Tentação´, é infinitamente superior a Closer!

    beijo

    ResponderExcluir
  4. Fabiana, saiba que não deixarei de conferir "Tentação", minha curiosidade está gigantesca.

    ResponderExcluir
  5. Adorei a coluna! E Closer é magnífico. Já vi umas 5 vezes e sempre me deixa reflexivo por dias á fio. Mais bem atuado impossível.

    E discordo de Fabiana, Tentação é bom, mas não chega nem aos dedinhos de Closer.

    Ciao!

    ResponderExcluir
  6. Wally, é ótimo saber que não sou o único a gostar tanto de "Closer". Sempre fico com uma sensação estranha depois que assisto. Atuações fantásticas. E mesmo que "Tentação" não chegue aos dedinhos de "Closer", eu quero muito ver. Abraço!

    ResponderExcluir
  7. Tem sempre um questionamento em torno de Closer e Tentação... Hahahahahaha

    ResponderExcluir

Dê sugestões, idéias, fale sobre a postagem, critique. 1ª visita? Deixe seu nome, cidade e idade! Evite comentários anônimos, ofensivos ou spam. Se for sobre o filme, evite spoiler para que nenhum outro leitor veja acidentalmente. Assim que ler, responderei e publicarei aqui. Volte para ver a resposta. Obrigado pela Visita!