Blogroll

27 de jul de 2009

Harry Potter e O Enigma do Príncipe (2009)


A penúltima aventura cinematográfica do bruxo que mais fatura no mundo já deixa claro no início da projeção que se trata de uma trama madura. Portanto, não há mais surpresas no mundo bruxo – apenas revelações bombásticas. Até porque, neste momento da vida de Harry Potter, não há espaço para deslumbres; os problemas devem ser encarados: há um bruxo assassino a solta e ele e seus Comensais da Morte ameaçam tanto os bruxos quanto os trouxas.

Os hormônios estão explodindo em Hogwarts. E é um lado bem explorado na projeção: a adolescência dos protagonistas. Harry está confuso com que sente e ao mesmo tempo preocupado em perder a amizade de Rony. Fica mais evidente os sentimentos de um certo casal... Birras, ciúmes, choros, há tudo em O enigma do Príncipe. Mas há momento para tudo. A separação das tramas são sempre centradas. Não há importância máxima à determinada parte da estória, tudo é tratado da mesma forma. Talvez esteja aí o erro do resultado final. David Yates não exagera em momento algum. Um pouco mais de ousadia ou melodrama funcionaria perfeitamente bem no final. Mas ele ganha créditos por extrair o melhor de seus atores. No quesito atuação O enigma do Príncipe não peca, à toda hora o elenco é sintonizado e convincente.

Pela quinta vez o roteiro de Steve Kloves não faz uso de nada desnecessário. Ele extrai tudo o que é mais importante na obra literária de J. K. Rowling e não teme criar tramas – há fatos que não existem nos livros e que são excepcionalmente necessários. Suas modificações são coerentes com o caminho que a história seguiu no cinema. Encarando a situação por este lado, modificações e acréscimo são importantes para manter o longa atraente como os livros. Muito foi mudado, personagens foram esquecidos e às vezes nem criados para a adaptação, entretanto é impossível que 510 páginas – na versão brasileira – seja transposto completamente para o áudio visual. Talvez uma série adaptaria com tamanha perfeição, porém estamos falando de cinema e é preciso saber o que pôr nas horas de projeção para que o público não fique cansado. E O enigma do Príncipe possui diálogos de humor afiadíssimos. Os personagens mudam de personalidade sem que pareça algo piegas, pelo contrário é bem natural. Daniel Radcliffe, Rupert Grint e Emma Watson passam essa sensação de naturalidade, provavelmente por estarem no papel há quase uma década, mas quem se importa? Eles estão lá e continuam ótimos.

O Enigma do Príncipe deve ser encarado com o início de uma trilogia conclusiva? Talvez sim, talvez não. A realidade é que os três não são mais crianças e com a conclusão deste volume eles não são nem adolescentes: são adultos. Harry Potter não é o mesmo desde que em O cálice de fogo o Lorde das Trevas – como Voldmort é chamado – retornou. E Harry sabe que terá de enfrentá-lo, não por que uma profecia disse isso, mas por que o bruxo já lhe trouxe problemas catastróficos e não irá parar até ser abatido.

Não prolongando mais a crítica, o lado técnico – como era de se esperar – é o lado perfeito do filme. A fotografia magnífica Bruno Delbonnel, os contrastes góticos e escuros para deixar o filme mais sombrio funcionam. Nicholas Hooper compõe uma ótima trilha sonora tensa e melancólica, mas sem os arranjos clássicos de John Williams. A edição de som nas cenas das lembranças foi uma ideia que deu certo. Nem precisa elogiar tanto o lado técnico, pois já víamos pelos trailers e vídeos divulgados na internet o quão rica esta parte. No entanto, Harry Potter e o enigma do Príncipe vai além de efeitos especiais bem produzidos, o atrativo do mundo do bruxo são outros fatores...


HARRY POTTER E O ENÍGMA DO PRÍNCIPE
(Harry Potter and the Half-Blood Prince, EUA/Inglaterra, 2009)
De: David Yates Roteiro: Steve Kloves Com: Daniel Radcliffe,
Rupert Grint, Emma Watson, Michael Gambon, Jim Broadbent, Helena Bonham Carter, Alan Rickman, Tom Felton, Bonnie Wright, Jessie Cave. Aventura / Drama / Fantasia. 153 min.

7 comentários:

  1. Problemas nos comentários resolvidos...

    ResponderExcluir
  2. Quem disse que a fila deixou eu assisti!?

    ResponderExcluir
  3. Depois de me decepcionar com o filme anterior da série, o diretor David Yates se redimiu comigo. Achei esse filme excelente do ponto de vista técnico e, apesar dos problemas no roteiro, a obra é altamente satisfatória. Especialmente porque coloca o foco nos personagens.

    ResponderExcluir
  4. Gostei muito mais desse filme do que do anterior, até me surpreendi. Acho que a série está num ótimo caminho, espero uma conclusão satisfatória com os dois últimos.

    ResponderExcluir
  5. Cleber, às vezes vale à pena enfrentar a fila. E garanto que vale enfrentar uma fila para ver Harry Potter.

    Kamila, eu me decepcionei um pouco com "A Ordem da Fênix", mas fiquei satisfeito com esta obra, embora eu esperasse um pouco mais de ousadia.

    Vinícius, sei o quando você gostou do sexto filme, tanto que até deu 5 estrelas e concordo também que a série está em ótimo caminho e em ótimas mãos no cinema.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  6. Rafael, eu não gosto de Harry Potter. Mas confesso que estou curioso para assistir a este O Enigma do Príncipe. Verei semana que vem...

    Abs!

    ResponderExcluir
  7. Kau, veja o quanto antes porque vale o ingresso. É um dos melhores e mais sombrios até aqui. Abraço!

    ResponderExcluir

Dê sugestões, idéias, fale sobre a postagem, critique. 1ª visita? Deixe seu nome, cidade e idade! Evite comentários anônimos, ofensivos ou spam. Se for sobre o filme, evite spoiler para que nenhum outro leitor veja acidentalmente. Assim que ler, responderei e publicarei aqui. Volte para ver a resposta. Obrigado pela Visita!